João Bento    
 


objecto sonoro I sound object  “DeGelo - Diamante Bruto”
Instalação Sonora  - escultura de gelo I ice sculpture - NEW VIDEO
© João Bento - 2021
 


NOTÍCIAS - NEWS


____________________________________________

                                     Sonoplastia para “Fátuo” de Carlos Manuel Oliveira - Residência de Pesquisa - 19 – 30 Jul 2021 Casa da Dança - Almada

Sound Design for “Fátuo” by Carlos Manuel Oliveira

© Carlos Oliveira 

Coreografia de corpos diversos, de pessoas e coisas, “Fátuo” é uma dança de atravessamentos, de superfícies em fricção e coalescência, que destabiliza figuras e dá lugar a formas em excesso sobre si próprias. Corpos-sujeito e corpos-objeto em trocas indeterminadas, numa mobilidade plástica em que o imaterial coletivo é apesar de tudo a força motriz maior. Um ensaio sobre a distribuição móvel e permutável da agência e dos agenciamentos, através de um conjunto de múltiplas perspetivas entre o animado e o inanimado, entre o fantasmático e o somático.

Direção e Coreografia: Carlos Manuel Oliveira / Interpretação: Elizabete Francisca, Josefa Pereira, Bruno Brandolino e Filipe Caldeira/ Desenho de Luz: Tiago Gandra/ Sonoplastia: João Bento/ Produção: COTÃO/ Coprodução: Parasita, Santarém Cultura/ Residências: Luzlinar, Incubadora d’Artes, Casa da Dança, Teatro Municipal Sá da Bandeira/ Apoio: Direção Geral das Artes – Governo de Portugal


www.casadadanca.pt/carlos-manuel-oliveira
____________________________________________

                   Ensaios - residência de pesquisa - "O Susto é um Mundo" Julho - nova criação com Vera Mantero - estreia em Novembro de 2021

Sound Design for new stage creation with choreographer Vera Mantero
© Vera Mantero


O antropólogo Eduardo Viveiros de Castro diz que, para os indígenas brasileiros, “a Contradição faz sentido“ e é uma das características basilares do pensamento dos povos originários. O professor de ética Jonathan Haidt diz que os seus alunos estão encerrados em bolhas politicamente correctas e aconselha-os a percorrerem mundo para serem capazes de Contradição*. O psicanalista Carl Jung dizia que a sua linguagem devia ser ambígua e de duplo sentido (Contraditória, portanto) porque só assim ela faria justiça à nossa natureza psíquica. As alegadas interferências das redes sociais em processos eleitorais recentes fazem-nos concluir que os media “saudáveis“ são aqueles que não apresentam apenas um ponto de vista e sim vários, de preferência Contraditórios. Uma educação para a cidadania será uma Educação para a Contradição? Educação para o Susto.


+
www.orumodofumo.com
 www.culturgest.pt/pt/programacao/susto-mundo-vera-mantero
 www.teatromunicipaldoporto.pt/en/programa/vera-mantero-o-susto-e-um-mundo

____________________________________________

                     Os meus vídeos TV-0 e BAUBAU presentes na programação do projecto piloto de televisão das Oficinas do Convento TVPreocupada - 24 e 25 de Julho Online e no Canal Meo

João Bento shows two vídeos at TV Preocupada - 24 / 25 July online


© João Bento - TV-0

___

A Oficinas do Convento – Associação Cultural de Arte e Comunicação, que celebra este ano 25 anos, em parceria com a Associação Alma d’Arame, lança o desafio à comunidade cultural e artística para integrar projeto de televisão.

Tendo como mote a incerteza de um futuro próximo, tempos em que a coesão social se dissipa com restrições e a dificuldade de programar de forma inclusiva e aberta aos públicos, questionamos: de que forma conseguimos não perder mais contacto com as comunidades, cumprir com objetivos programáticos bem como responder de forma eficiente e atual às necessidades de publicação por parte das comunidades artísticas?


+ tvpreocupada.com

____________________________________________


          + IGUAL. Espectáculo para famílias 3 de Julho 18h Campo dos Mártires da Pátria - Lisboa




© Elena Castilla

Criação e interpretação: Elena Castilla
Criação sonora: João Bento
Apoio dramatúrgico: Rita Westwood
Figurinos e cenografia: Elisa Papageorgiu
Apoios: Questão de Igualdade- Associação para a Inovação Social, República Portuguesa- Ministério de Cultura, Centro Cultural Maloca.

Um corpo irrompe no espaço. Uma figura ambígua delimita esse espaço, mas nenhum dos seus movimentos anuncia uma ordem: nada bate certo. A parte superior do seu corpo realiza uma série de acções e movimentos que, ora respondem, ora não, com a parte inferior. Mas afinal o que está este corpo a fazer? Que corpo é este?Este projecto tem como objectivo criar um espaço de aprendizagem onde as crianças possam reflectir e, assim despertar um espírito crítico sobre a desigualdade de género.Pretende-se reflectir sobre os estereótipos e tomar consciência sobre os papéis de género na nossa sociedade.O presente espectáculo surgiu do material gerado nas oficinas de dança realizadas ao longo do 1.º semestre de 2021 com a comunidade educativa do distrito de Amadora, sobre a igualdade de género, a eliminação de estereótipos de género, actuando na mudança das representações sociais de género, enquanto estratégia essencial para a mudança de mentalidades e atitudes.


O BAIRRO EM FESTA é uma iniciativa cultural co-promovida pelo LARGO Residências, Câmara Municipal de Lisboa, EGEAC e Junta de Freguesia de Arroios, em parceria com a Rede Local deParceiros Sócio-Culturais em torno do Eixo Almirante Reis (Intendente, Pena, Anjos e Arroios).




____________________________________________


         Criação Sonora sound design for TERRA NULLIUS by Paula Diogo - Portuguese Platform of Performing Arts - PT.21
até 20 de Julho



O espectáculo TERRA NULLIUS de Paula Diogo integra a programação da PT.21 – Portuguese Platform of Performing Arts, promovida pelo O Espaço Do Tempo e dirigida a programadores, este ano com um programa maioritariamente online. A versão adaptada para formato online de TERRA NULLIUS estará disponível sob registo na Plataforma PT.21 entre 20 de Junho e 20 de Julho de 2021.



© João Tuna

+ info: PT.21

____________________________________________


                   Sonoplastia para
sound design for COCOON de Matthieu Ehrlacher - Fundação Gulbenkian P de Dança - sex, 25 jun 2021 / 21:00 – 21:50




© Susana Paiva

Numa conferência de 2012, Peggy Phellan dizia que “em todas as peças do Beckett, a dificuldade de se mover – seja física, amorosa ou filosoficamente – constitui o cerne dramático da ação.” Cocoon, de Matthieu Ehrlacher, estabelece à partida uma relação de imobilidade e expectativa na relação entre uma cenografia e um corpo que perguntam: o que pode acontecer agora? O corpo incorpora a cenografia e ao mesmo tempo está dentro dela, procurando no mínimo movimento um percurso de amplificação. A estranheza deste objeto que se mexe, que fala, que para, que olha, que escuta, conduz o olhar do público por uma viagem de pormenores e intensidades que nunca é a mesma. Um objeto animado e inanimado, com personalidade, através do qual é estabelecida uma relação entre o absurdo de uma situação impossível e a confrontação com os mecanismos de ação do teatro.

Cocoon is the relationship between a set and a body. The body that it embodies is inside the set. The set is alive and its transformation is witnessed by the audience. Inside this object, the body searches for the richness of its minimum movement and the path to its amplification. The imprisoned body is looking for its freedom. On the course of this transformation a dialogue is established. It is a voice inside the cocoon.

Auditório 2, Calouste Gulbenkian Foundation, Lisbon, Portugal
in the framework of P de Dança - A Gulbenkian e a Dança em Portugal
9pm - 25 Jun



Gulbenkian
RumodoFumo


____________________________________________


                              DeGELO – DIAMANTE BRUTO - Residência de pesquisa e criação - Castelo Novo - Maio e Junho 2021 / Instalação sonora/ escultura  de João Bento + Deambulações coreográficas - Elena Castilla


Bosque da Quinta do Alardo - Apresentação a 19 de Junho de 2021




© João Bento

Com "DeGELO - Diamante Bruto”, João Bento pretende dar voz a uma causa fundamental, a preservação do planeta através da consciencialização para a importância da água. A peça, viva e fluida, quer transmitir  sensações e emoções associadas ao fenómeno natural de descongelamento, traduzindo-se numa experiência multissensorial.



© João Bento

"DeGELO - Diamante Bruto”, artwork by João Bento, aims to give a voice to a fundamental cause of Humanity, the preservation of the planet, by raising awareness of the water element as a finite resource. The object, alive and fluid, wants to transmit sensations and emotions associated with the natural phenomenon of thaw, bringing to life an experience where vision, audition and touch are the first senses to be awakened.


Criação, direção artística e conceito: João Bento
Criação de Deambulações coreográficas: Elena Castilla
Colaboração Sonora: Carmen Bento
Apoio à criação do objeto de gelo: Maurício Martins (MILL - Makers In Little Lisbon)
Copy : Sara do Vale


+ info



____________________________________________

                    Lavoisier lançam website sobre o album Viagem a um Reino Maravilhoso -  Junho 2021 - breve residência técnica em Ilhavo/ Gafanha da Nazaré -23 Milhas


© André Macedo 



Patrícia Relvas, José Fortes, Roberto Afonso e João Bento, durante as gravações do disco no Conservatório Regional de Música de Vila Real.

aqui informações sobre o trabalho de recolha sonora presente no album e muito mais


____________________________________________


                   Maratona de Procrastinação - 6 de Junho de 2021 - TBA - Jardim Botânico de Lisboa /   Sílvia Pinto Coelho com Lília Mestre & Mark Tompkins, Vera Mantero, Jeroen Peeters, Mariana Tengner Barros e João Bento





© Alípio Padilha



Dizemos PROCRASTINAÇÃO como quem diz RESISTÊNCIA. Persistência na desatenção a uma tarefa por cumprir.
Dizemos PROCRASTINAÇÃO como quem diz IMPROVISAÇÃO. A ginástica de um instinto conquistado ao tempo de trabalho.
Dizemos ESCOLA como quem diz ESCOLHA. Pondo a hipótese de uma escola de liberdade. ESCOLA de liberdade de ESCOLHA? Liberdade de procurar alternativas à produtividade, ao burnout e à cativação do tempo de atenção ao trabalho.

Maratona de Procrastinação concentra-se no papel que a procrastinação pode ter em processos criativos. Há um processo rico em invenção de desconhecido no ato de protelar, de fazer durar. Improvisadores, artistas, curiosos e estudantes na área da dança e da performance são convidados para estarem presentes na Maratona, um evento duracional de performance e discurso improvisados que poderá durar até dez horas, ativando um conjunto de premissas de relação a que chamamos Procrastination Score. Os convidados desta maratona são: Lília Mestre, Mark Tompkins, Vera Mantero, Jeroen Peeters, Mariana Tengner Barros e João Bento.


+ info 



____________________________________________

                                       Criação Sonora para “ Partilhas/ Exchanges” de Filipa Francisco - TAGV - Coimbra 


Sound Design for “ Partilhas/ Exchanges” by Filipa Francisco 



© Nuno Direitinho

Um caderno com várias vozes, no caminho dos contadores de histórias, numa espiral, juntando memórias de danças tradicionais palestinianas, portuguesas, estórias de família, de uma aldeia em peso, Água das Casas. A peça faz-se leitura de um caderno, faz-se dança, faz-se ação, num espaço onde o público é público, é testemunha, é personagem, participante das várias vozes num só corpo, de uma viagem. Num mundo onde cada vez mais se suprime diferentes vozes, a multiplicidade, a diversidade, esta é uma peça política e poética.

A notebook with several voices, on the path of the storytellers, in a spiral, joining memories of traditional Palestinian and Portuguese dances, family stories, of an entire village… Partilhas/Exchanges reads a notebook, dances, acts, in a space where the audience is audience, is a witness, is a character, a participant in the various voices of a single body, of a journey. In a world where different voices, multiplicity and diversity are increasingly supressed, this is a political and poetical piece.

+ info

____________________________________________

             Criação Musical e Sonoplastia para “Dias Contados” de Elizabete Francisca - Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, Baixa da Banheira 23 de Abril e Cine Teatro Louletano a 29 de Abril 2021

Sound Design for “Dias Contados” by Elizabete Francisca @  Centro Cultural da Moita and Cine Teatro Louletano





© Os Fredericos

Aprersentações no âmbito do Dia Mundial da Dança
+
cm-moita.pt
cineteatro.cm-loule.pt
orumodofumo.com


_______________________________________________________________________

                 Captações de Som (vídeo) para Pranto de Maria Parda de Miguel Fragata - Abril 2021 I Espectáculo com estreia adiada para Outubro de 2021 - Teatro Nacional D. Maria II

field recording for Pranto de Maria Parda by Miguel Fragata




© João Bento

Pranto de Maria Parda parte do texto homónimo de Gil Vicente, escrito no rescaldo de um ano devastador e é levado à cena em 2021, no rescaldo de um outro ano devastador. Este espetáculo propõe-se vaguear pelas ruas de Lisboa à escuta da voz daqueles que a cidade escolheu deixar de lado, hoje, como há cinco séculos.



www.tndm.pt/pt/digressoes/pranto-de-maria-parda



_______________________________________________________________________

                 Ensaios -  Residência de Criação Sonora/ Sonoplastia para “Diálogos” de Henrique Furtado Vieira / Março - Abril - Rumo do Fumo e PróDança I 4 a 10 de Maio - Espaço do Tempo Montemor-o-Novo - estreia no CCB em Agosto de 2021





© Bruno Simão



© Bruno Simão

Esta peça não tem início nem fim. Uma pessoa dialoga. Três pessoas dialogam. Infinitas entidades dialogam.
This play has no beginning and no end. One person talks. Three people engage in dialogue. Infinite bodies engage in dialogue.


+
ccb.pt


_______________________________________________________________________

                Criação Sonora e planificação vídeo para PAISAGEM – ciclo Sobre Lembrar e Esquecer, parte II de Paula Diogo e Tónan Quito, em co-criação com os Foguetes Maravilha (BR). Estreia Online 
Sound Design and Vídeo Planification for PAISAGEM I 26 — 28 Março 2021 em contínuo - online (disponível a partir das 21.00h de dia 26) Sex — Dom


© Má-Criação


Paula Diogo imaginou o ciclo SOBRE LEMBRAR E ESQUECER para falar sobre o modo como a memória opera nas nossas vidas. PAISAGEM, em co-criação com Tónan Quito e o colectivo Foguetes Maravilha, é o segundo momento deste ciclo iniciado em 2018 no espectáculo com o mesmo nome apresentado no Teatro Maria Matos. Uma conversa sobre duas peças curtas de Harold Pinter serve de ponto de partida para este espectáculo. Em ambas, um casal de meia idade dialoga (ou monologa) sobre episódios que só um deles parece recordar ou que ambos recordam de forma completamente diferente. Estas peças servem de mote para falar sobre aquilo que mantém as pessoas juntas ao longo dos anos e como se estabelecem as relações de intimidade e interdependência.


© João Tuna


Paula Diogo imagined the cycle ABOUT REMEMBERING AND FORGETTING to talk about the way memory works in our lives. LANDSCAPE, in co-creation with Tónan Quito and the collective Foguetes Maravilha, is the second moment of this cycle started in 2018 the show with the same name presented at the Teatro Maria Matos, in Lisbon.

Teatro Municipal do Porto
+ Má-Criação


_______________________________________________________________________


                     MATÉRIA INÉDITA ( a partir de O Limpo e O Sujo) - João Bento - Culturgest - Data antecipada para  26 de Fevereiro de 2021 - Sound Piece - Online 



© João Bento

João Bento foi o autor da banda sonora, no sentido mais tradicional do termo, de O Limpo e o Sujo, de Vera Mantero, mas a sua música foi também, e sobretudo, um corpo presente e participativo na construção da coreografia dos três performers, como um elemento aditivo na criação da própria peça, dialogante e iniciador de gestos e movimentos. Às premissas de limpeza interior e ecologia do eu - físico e espiritual -, João Bento procurou e captou sons que reflectissem uma espécie de ritual individual e colectivo, incluindo os próprios ensaios e trabalho de grupo. A conceção da coreografia levou, naturalmente, à produção de um espólio vasto de matéria sonora que, em grande parte, ficou arquivada, por utilizar. Aproveitando a última apresentação da reposição de O limpo e o sujo na Culturgest, quisemos propor a João Bento uma espécie de reciclagem sonora, criando uma composição electroacústica unicamente com essa matéria inédita, fazendo uma ponte possível com o conceito de sustentabilidade, tão importante para a génese do trabalho de Vera Mantero.


Esta sexta-feira 26 Fev, 21:00, exclusivamente online nos canais da Culturgest.
online on Culturgest youtube - facebook - instagram


+ Culturgest


 

_______________________________________________________________________


                      Criação Musical e Sonoplastia  para “Dias Contados” de Elizabete Francisca - 19 de Fevereiro a 5 de Março 2021 - Teatro Nacional Dona Maria II - Transmissão Online

Sound Design for “Dias Contados” by Elizabete Francisca @  D. Maria II National Theatre - online transmission between 18 Fev and 5 March 2021

Sala Online do TNDM II - comprar bilhete
no âmbito de D. Maria II em Casa



© Os Fredericos


EU SOU SÓ MAIS UMA A SUAR ALTERNATIVAS.  
Recebi a carta. Abri a carta. Li a carta. Fiquei parada de pé.

(...)

Olhei em volta. Não há outro mundo, há apenas uma outra maneira de viver. Praças, ruas, estabelecimentos vazios de sentido. A cidade moderna, o exército anónimo do progresso, implacável na devastação como a sua única salvação. Pessoas sem casa, expulsas, empurradas para um sítio qualquer. Uma crise habitacional que não é mais do que uma luta de classes. Trocam-se as cores, limpam-se os destroços, reabilita-se. Substitui-se a população, os mais ricos pelos mais pobres. O fosso social alarga-se perpetuando a tensão. Não ter direito a uma casa, a um sítio que nos devolva quem somos, é algo de profundamente desestruturante. A paisagem modifica-se, demolição silenciosa da memória patrimonial e afectiva, que poucos podem acompanhar. A especulação. Há prédios a arder, há bullying, há mortes. Longe daquele que tem os mais altos muros e as fachadas mais fechadas. Já se sabe: a crise é um modo de governo, a verdadeira catástrofe é existencial e metafísica e a revolta e o pensamento são-nos forças inalheáveis. Até lá rios secam, árvores são dizimadas, espécies que passam só a existir em livros, plástico no ar, novas doenças. E os supremos que tentarão refugiar-se sempre no seu condomínio de luxo, ao abrigo de tempestades e evidências.

+ info:  Teatro Nacional Dona Maria II
            orumodofumo


_______________________________________________________________________

                 Música ao vivo para “O Limpo e o Sujo“  peça de Vera Mantero -  no grande auditório da Culturgest - 20 Março 2021 Sáb 19:00  I Live Music for “The Clean and the Dirty” Culturgest-Lisbon. adiado + informações brevemente



© João Bento / © João Tuna

“Na realidade a vida não é uma coisa limpa. Reconhecer isso seria meio caminho andado para a tornar menos suja, ou seja, para a possibilidade de nos tornarmos mais felizes.”
Ana Cristina Leonardo


A obra de Vera Mantero movimenta-se entre duas necessidades: a interrogação da subjetividade e a interação com o mundo exterior (do qual os seres humanos são parte integrante). O Limpo e o Sujo foca a relação umbilical entre estas duas práticas, colocando-as no debate sobre a sustentabilidade da presença humana no planeta. Onde o discurso ecológico defende que precisamos de mudar a nossa maneira de viver e a nossa relação com o ambiente, Mantero vê um paralelo com as práticas artísticas, particularmente nas artes performativas: “Há um lugar significativo para o corpo nestas questões (...) é o lugar que providencia a ativação dos sentidos e do pensamento, e que intensifica as relações com tudo o que está à nossa volta. Tudo isto tem a ver com energia, movimento, intensidade e desejo, e isso é o que cria sentido na vida.”

Em 2019, O Rumo do Fumo celebrou vinte anos de atividade ininterrupta. Formada em 1999 por Vera Mantero, a estrutura trabalha na criação, produção, difusão, investigação, formação e programação da dança contemporânea. Representa os artistas associados Miguel Pereira e Vera Mantero e apoia Elizabete Francisca e Nuno Lucas. De  outubro até julho de 2020, apresentou um programa celebratório com várias atividades, destacando as apresentações em várias instituições parceiras e a festa de aniversário no Espaço da Penha, com performances, dança, música e exposições. No início de 2021, esta apresentação de O Limpo e o Sujo fecha essa celebração num mundo diferente.

O Limpo e o Sujo recebeu 5 ***** do jornal Público e foi eleito um dos melhores espetáculos de 2016 pelo semanário Expresso

+ info: Culturgest 



_______________________________________________________________________

             Criação Sonora para / sound design for “PARTILHAS/EXCHANGES” de/ by Filipa Francisco - TAGV Coimbra 26 Fev 2021 - 19 h - adiado para Junho de 2021 - new date + info soon



© João Bento

“ .....a peça faz-se leitura de um caderno, faz-se dança, faz-se acção, num espaço onde o público é público, é testemunha, é personagem, participante de várias vozes num só corpo, de uma viagem .....”

tagv.pt/agenda/partilhasexchanges
   Materiais Diversos 


_______________________________________________________________________

                      Som e Pós-Produção Audio do filme SOA de Raquel Castro - exibição on-line 27 a 31 Janeiro e 19-21 Fevereiro 2021- Norient Film Festival - Bern -Suiça


sound design and audio post production for the film SOA by Raquel Castro presented @ Norient Film Festival - Bern - Switzerland / 27 to 31 January - 19 to 21 February 2021



© Raquel Castro

Imagine-se ao menos que, como no nosso mundo, não fosse a momentânea ausência de som que o definisse. Eis o que SOA interpela: a ubiquidade do som, desde a mais simples actividade humana hodierna à mais antiga prova de existência de vida. Afinal, se Deus ditou que se fizesse luz, tê-la-á precedido o som da Sua voz. SOA é uma viagem de questionamentos sobre a heterogeneidade do som e, de par com a geografia da complexidade humana, sobre as suas itinerâncias – e sobre nossa capacidade de o escutar. (Filipa Henriques)

We are surrounded by all kinds of sounds, but how far are we conscious about them? The director and investigator Raquel Castro has been working with the concept of sound landscape. And in particular the way sounds, silences, noises, frequencies and all spectral densities — infra or ultrasounds — can shape each place and all of us. This is also a film essay about citizenship, ecology, and the responsibility we have for the sounds we produce.

nff-bern.ch/SOA
www.crim-productions.com/documentary/soa


_______________________________________________________________________

            Composição Musical e Sonoplastia  para “Dias Contados” de Elizabete Francisca - 5 a 7 de Fevereiro de 2021 - teatro Nacional Dona Maria II

February 2021- 5 to 7 I Sound Design for “Dias Contados” by Elizabete Francisca @  D. Maria II National Theatre - Lisbon  // As vendas para o espetáculo Dias Contados encontram-se suspensas. + info brevemente - transmissão online



© Nuno Sampaio

Não ter direito a uma casa, a um sítio que nos devolva quem somos, é algo de profundamente desestruturante. A paisagem modifica-se, demolição silenciosa da memória patrimonial e afetiva, que poucos podem acompanhar. A especulação. Há prédios a arder, há bullying, há mortes. Longe daquele que tem os mais altos muros e as fachadas mais fechadas.

+ info:  Teatro Nacional Dona Maria II


_______________________________________________________________________

          Questões Práticas #07 Com João Bento | 3 Dez. 2020 + 7 Jan. 2021, Videoconferência | Parceria Circular + Esmad / Vídeoconference by João Bento



3 de dezembro 2020, Quinta-feira 21h00, videoconferência (zoom) Encontro com João Bento

7 de janeiro 2021, Quinta-feira, 22h15, videoconferência (zoom) Improvisação a partir dos documentários sonoros dos alunos da ESMAD

O último momento do ciclo “Questões Práticas” em 2020 organiza-se à volta de práticas sonoras e tem como convidado o artista sonoro João Bento. Este evento, realizado em parceria com a ES-MAD (no âmbito das conferências 20 a 20000hz), será dividido em duas sessões. Na primeira sessão João Bento irá falar sobre o seu percurso artístico e sobre as suas práticas de trabalho, no segundo momento estará a colaborar na realização de um exercício proposto pelo professor e músico Filipe Lopes aos alunos do Mestrado em Comunicação Audiovisual - Especialização em Fotografia e Cinema Documental.

Público alvo: estudantes e professores da ESMAD, público em geral.

Atividade inserida no programa educativo da Circular Associação Cultural. Coordenação ciclo “Questões práticas”: Joclécio Azevedo

+ info
esmad
www.circularfestival.com

_______________________________________________________________________

              Som e Pós-Produção Audio do filme SOA de Raquel Castro - exibição 19 Novembro Cinema Avenida -Coimbra - Festival Caminhos do Cinema Portugês / exibição 28 Novembro 2020 - Cinema Passos Manuel - Porto Post Doc Film and Media Festival

sound design and audio post production for the film SOA by Raquel Castro presented @  Caminhos do Cinema Português - Coimbra and Passos Manuel Cinema - Porto Post Doc Film and Media Festival - Porto



© Raquel Castro

Imagine-se ao menos que, como no nosso mundo, não fosse a momentânea ausência de som que o definisse. Eis o que SOA interpela: a ubiquidade do som, desde a mais simples actividade humana hodierna à mais antiga prova de existência de vida. Afinal, se Deus ditou que se fizesse luz, tê-la-á precedido o som da Sua voz. SOA é uma viagem de questionamentos sobre a heterogeneidade do som e, de par com a geografia da complexidade humana, sobre as suas itinerâncias – e sobre nossa capacidade de o escutar. (Filipa Henriques)

We are surrounded by all kinds of sounds, but how far are we conscious about them? The director and investigator Raquel Castro has been working with the concept of sound landscape. And in particular the way sounds, silences, noises, frequencies and all spectral densities — infra or ultrasounds — can shape each place and all of us. This is also a film essay about citizenship, ecology, and the responsibility we have for the sounds we produce.


www.crim-productions.com/documentary/soa
Porto/Post/Doc
Caminhos/ Outros Olhares

_______________________________________________________________________

           23 a 27 de Novembro 2020 - Início dos trabalhos para nova criação com a coreógrafa Vera Mantero
- “O Mundo é Um Susto” título de trabalho


November - 23 to 27 - research residency “ O Mundo é um Susto” (work title) new creation 2021 with Vera Mantero @ O Rumo do Fumo


© Vera Mantero

+ info em breve

_______________________________________________________________________

                “ Viagem a um Reino Maravilhoso” Lavoisier + João Bento - 21 Novembro 2020 - cancelado - nova data brevemente

November - 21  Theremin and Electronics “ Viagem a um Reino Maravilhoso” Lavoisier + João Bento - Vinhais



© André Macedo

"Miguel Torga por Lavoisier: Viagem a um Reino Maravilhoso" é o mais recente disco e espetáculo de Lavoisier. A partir dos poemas de Miguel Torga, os Lavoisier apresentam um álbum conceptual, composto por e para duas vozes, uma guitarra e várias frequências que traduzem o som encontrado na poesia do escritor natural de São Martinho de Anta, Sabrosa, Vila Real. A Lavoisier junta-se o artista sonoro João Bento que esteve com eles em residência artística e fez um trabalho inacreditável de recolha sonora em locais emblemáticos da vida e da obra de Miguel Torga.

por agora fica a possibilidade de escutar o album em casa /listen
"Viagem a um Reino Maravilhoso"

_______________________________________________________________________


                             Criação Sonora para TERRA NULLIUS de Paula Diogo estreia 1 de Oububro - Teatro Nacional D. Maria II / de 1 a 11 de Outubro 2020


Sound Design for Terra Nullius /  premier 1 October 2020  @ TNDMII  
1 to 11 October 2020



© João Tuna


Um território que não pertence a ninguém.

Terra Nullius foi um termo criado pela lei internacional para definir territórios que não pertenciam a ninguém e por isso podiam ser ocupados. Ainda hoje existem territórios Terra Nullius como: Bir Tawill (uma faixa de terra entre o Egito e o Sudão), a Antártida, o mar internacional e a Lua. Mas Terra Nullius encerra também um significado poético. Uma ideia de território inexplorado, uma espécie de oásis de liberdade onde seria possível recomeçar e repensar a nossa ideia de sociedade.

Durante um ano, Paula Diogo esteve em Reiquejavique a desenvolver um projeto que tentava capturar uma ‘experiência do lugar’, cruzando-a com narrativas pessoais e coletivas. Como procedimento usou duas ações simples: caminhar e escrever. Nos dois últimos anos, TERRA NULLIUS iniciou a sua migração lenta da Islândia para Portugal, e chega agora ao D. Maria II em formato de audiocaminhada. Um projeto que transborda o espaço do teatro, ocupando a geografia urbana da cidade e o espaço virtual de discussão e pensamento.
_ _ _ _ _
O espetáculo inicia-se junto ao rio, a 400 metros do Lux Frágil, e termina no D. Maria II. Ponto de encontro aqui.
Aconselha-se o uso de roupa e calçado confortáveis e disponibilidade para caminhar.
Tradução em inglês disponível, mediante reserva.

© Paula Diogo 


Nobody’s land
Terra Nullius is the Latin term in international law to designate territories belonging to no one that can consequently be occupied. There are still to this day Terra Nullius territories such as: Bir Tawill (an unclaimed strip of land between Egypt and Sudan), Antarctica, international waters and the Moon. But Terra Nullius also has a poetic meaning. The idea of an unexplored territory, a kind of oasis of freedom where we could restart and rethink our idea of what society is.
Paula Diogo spent a year in Reykjavík where she developed a project that tried to capture the ‘experience of place’ by intermingling it with personal and collective narratives. To do this, she makes use of two simple activities: walking and writing.  In the last two years, TERRA NULLIUS has been migrating slowly from Iceland to Portugal and now reaches D. Maria II in the format of an audio-walk. It’s a project that spills over and beyond the theatre space to occupy a city’s urban geography and the virtual space of discussion and thought.


_ _ _ _ _

Ficha Técnica e Artística:
Direcção de projecto, criação Paula Diogo Texto e voz Paula Diogo Criação sonora João Bento Desenho de luz Daniel Worm Apoio à dramaturgia Alex Cassal Apoio à criação Alfredo Martins, Estelle Franco, Renato Linhares Espaço cénico Frame Colectivo (Agapi Dimitriadou e Gabriela Salazar) e Elsa Mencagli (estagiária Erasmus +) Vídeo Masako Hattori Fotografia de cena João Tuna Revisão Ana Macedo Produção executiva Vanda Cerejo Apoio Comunicação Carlos Alves


TNDMII
Má-Criação
_______________________________________________________________________
Criação Sonora para TERRA NULLIUS de Paula Diogo - residência artística: 2 a 12 Setembro @ Arquipélago (Açores)   


Sound Design for Terra Nullius /  premier October 2020  @ TNDMII  - September research residency @ Arquipélago (Azores)
©  João Bento

Nos dois últimos anos Terra Nulius iniciou a sua migração lenta da Islândia para cá, para Portugal, e chega ao Teatro Nacional D. Maria II em outubro. Uma audio-caminhada que acontece na rua e termina dentro do Teatro. Mas também um projeto que transborda o espaço do teatro, ocupando a geografia urbana da cidade e o espaço virtual de discussão e pensamento.

Terra nullius is a concept in international law used to define territory that is not owned by anyone and can therefore be occupied. Some territories are still considered terra nullius today, such as Bir Tawill (a strip of land between Egypt and Sudan), Antarctica, international waters and the moon. But terra nullius also holds a poetic meaning — an idea of an unexplored land, an oasis of freedom where we might restart and rethink our idea of society.

TNDMII
Arquipélago - Centro de Artes

_______________________________________________________________________

                   Som e Pós-Produção Audio do filme e série televisiva SOA de Raquel Castro - 2020 / sound design and audio post production for the film SOA by Raquel Castro



©  Raquel Castro

Estreia Mundial Festival Indie Lisboa -  3 de Setembro 2020 - Grande Auditório da Culturgest - 18:45

Estamos rodeados por todos os tipos de sons, mas qual o grau de consciência que temos deles? A realizadora e investigadora Raquel Castro tem trabalhado, a partir do conceito de paisagem sonora, a forma como os sons, os silêncios, os ruídos, as frequências, e todos os espectros sonoros – do infra ao ultra-som – caracterizam cada lugar e nos afetam e transformam. Um filme ensaio também sobre cidadania, ecologia e responsabilidade pelo som que geramos.

Imagine-se ao menos que, como no nosso mundo, não fosse a momentânea ausência de som que o definisse. Eis o que SOA interpela: a ubiquidade do som, desde a mais simples actividade humana hodierna à mais antiga prova de existência de vida. Afinal, se Deus ditou que se fizesse luz, tê-la-á precedido o som da Sua voz. SOA é uma viagem de questionamentos sobre a heterogeneidade do som e, de par com a geografia da complexidade humana, sobre as suas itinerâncias – e sobre nossa capacidade de o escutar. (Filipa Henriques)

We are surrounded by all kinds of sounds, but how far are we conscious about them? The director and investigator Raquel Castro has been working with the concept of sound landscape. And in particular the way sounds, silences, noises, frequencies and all spectral densities — infra or ultrasounds — can shape each place and all of us. This is also a film essay about citizenship, ecology, and the responsibility we have for the sounds we produce.



www.crim-productions.com/documentary/soa
Indie Lisboa
bilhetes / tickets

_______________________________________________________________________

                                  “DeGelo – Diamante Bruto" | João Bento - Instalação Sonora - Dar a Ouvir. Paisagens Sonoras da Cidade- Convento São Francisco -Coimbra

sound sculpture/ installation by João Bento until 6 September 2020 @ Convento de São Francisco  -Coimbra - Portugal

© João Bento

Instalação Sonora  - CONVENTO SÃO FRANCISCO
De | Sábado 11 JULHO, até | Domingo 6 SETEMBRO, 2020

"DeGELO - Diamante Bruto" pretende, através de uma solução plástica, mexer com conceitos relativos à conservação do planeta. Montando um ciclo de aquecimento e de arrefecimento, que acelera e desacelera a transformação de uma matéria essencial - A água, um bem precioso a caminho da sua extinção. 
“O Ártico tem sido , tradicionalmente, o frigorifico do planeta, mas a porta ficou aberta” Jeremy Mathis (investigador da Administração Oceânica e atmosférica Nacional dos EEUU)

Criação, direção artística e conceito: João Bento
Apoio à criação do objeto: Maurício Martins (MILL - Makers In Little Lisbon)

 Dar a Ouvir. Paisagens Sonoras da Cidade. Coorganização: Câmara Municipal de Coimbra/ Convento São Francisco e Jazz ao Centro Clube. Quarta a segunda | 15h00 às 20h00 (última entrada às 19h30)

Sentina - Gratuito
+ info

_______________________________________________________________________


            Lavoisier + João Bento apresentam "Viagem a um Reino Maravilhoso" - Takeover #1 - Musicbox no São Luiz

12 de Julho 21:00 10€
The new album by Portuguese progressive folk duo Lavoisier, featuring João Bento on theremin, electronics, soundscapes. Amazingly recorded and mixed by José Fortes.



O projeto Lavoisier, foi construído sobre a necessidade interior de fazer música. Se é cantado em português ou em inglês, não importa, já que o principal objetivo é cumprir o primeiro instinto traçado, a música. Lavoisier é um casal português influenciado um pelo outro e por todo o mundo de sensações que a música pode trazer. Enquanto compartilham o mesmo espírito dos tropicalistas, Michel Giacometti e Fernando Lopes Graça, que se dirigem à sua própria expressão musical, sem medos e sem preconceitos sobre nada.

"Miguel Torga por Lavoisier: Viagem a um Reino Maravilhoso" é o mais recente disco e espetáculo de Lavoisier. A partir dos poemas de Miguel Torga, os Lavoisier apresentam um álbum conceptual, composto por e para duas vozes, uma guitarra e várias frequências que traduzem o som encontrado na poesia do escritor natural de São Martinho de Anta, Sabrosa, Vila Real. A Lavoisier junta-se o artista sonoro João Bento que esteve com eles em residência artística e fez um trabalho inacreditável de recolha sonora em locais emblemáticos da vida e da obra de Miguel Torga. Este domingo, estarão os três no palco  do Teatro São Luiz para vos levar a mergulhar numa experiência sonora imersiva pelo Reino Maravilhoso.

© André Macedo 

-----
TAKEOVER #1 - MUSICBOX NO SÃO LUIZ
De portas fechadas, sem poder retomar a sua programação artística, o Musicbox lançou o desafio à EGEAC Cultura em Lisboa e ao São Luiz Teatro Municipal de se apropriar do espaço para um ciclo de concertos. Desafio prontamente aceite, Takeover #1 - Musicbox no São Luiz junta o clube e o teatro municipal numa parceria da qual resultam 9 sessões de música ao vivo a decorrerem de 9 a 12 e de 15 a 19 de julho.

Mais informações em teatrosaoluiz.pt e musicboxlisboa.com
_______________________________________________________________________

         Criação sonora para Terra Nullius de Paula Diogo / Má-Criação  - Residência Alkantara - Lisboa Julho 2020/ Sound Design for Terra Nullius - Residency

©  Paula Diogo

Nos dois últimos anos Terra Nulius iniciou a sua migração lenta da Islândia para cá, para Portugal, e chega ao Teatro Nacional D. Maria II em outubro. Uma audio-caminhada que acontece na rua e termina dentro do Teatro. Mas também um projeto que transborda o espaço do teatro, ocupando a geografia urbana da cidade e o espaço virtual de discussão e pensamento.

Terra nullius is a concept in international law used to define territory that is not owned by anyone and can therefore be occupied. Some territories are still considered terra nullius today, such as Bir Tawill (a strip of land between Egypt and Sudan), Antarctica, international waters and the moon. But terra nullius also holds a poetic meaning — an idea of an unexplored land, an oasis of freedom where we might restart and rethink our idea of society.

alkantara.pt/terra-nullius-de-paula-diogo

_______________________________________________________________________
           
                            Som e Pós-Produção Audio do filme e série televisiva SOA de Raquel Castro - Estreia Indie Lisboa 2020 - + info em breve / sound design and post production for the film SOA

trabalho em fase de finalização


© Raquel Castro

+ informação em breve
+ info soon
_______________________________________________________________________

           Criação sonora para Terra Nullius de Paula Diogo / Má-Criação  - Residência Espaço do Tempo Maio 2020/ Sound Design for Terra Nullius - Residency


Terra Nullius foi um termo criado pela lei internacional para definir territórios que não pertenciam a ninguém e por isso podiam ser ocupados e declarados como território “novo”. Etimologicamente significa também terra de ninguém, terra sem dono, terra que não pode ser reclamada, ponto zero. Ainda hoje existem territórios Terra Nullius como: Bir Tawill (uma faixa de terra entre o Egipto e o Sudão), a Antártida, o mar internacional e a Lua e os corpos celestes. Mas Terra Nullius encerra também um significado poético. Uma ideia de território inexplorado, uma espécie de oásis de liberdade onde seria possível recomeçar e repensar a nossa ideia de sociedade.

TERRA NULLIUS is a hybrid performance project that attempts to capture the experience of a distant place.For a year the artist Paula Diogo was in Reykjavik developing a master’s program project which she called TERRA NULLIUS. During this period he used as a procedure two simple actions: walking and writing.TERRA NULLIUS tries to relocate the experience of this distant place and to put it in dialogue with other places and realities, creating overlaps and connections. The project proposes different work phases that have as starting point the act of walking, using it as a procedure for the construction of the artistic object.TERRA NULLIUS is both an inner and outer journey, a reflection on what binds us to places.

Paula Diogo (direcção de projecto, criação e performance), Daniel Worm (desenho de luz), Alex Cassal (apoio à dramaturgia), João Bento (criação sonora), Alfredo Martins, Estelle Franco/BE, Renato Linhares/BR (apoio à criação), Masako Hattori/ES (vídeo e design gráfico), F. Ribeiro e Agapi Dimitriadou/GR e Elsa Mencagli IT/DK (estagiária Erasmus +) (espaço cénico), João Tuna (selecção fotográfica), Joana Frazão (traduções e revisão), Vanda Cerejo (produção executiva).

Co-produção: Má-Criação e TNDMII
Parceiros: Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, Citemor, ZDB, O Espaço do Tempo e Alkantara.
Projecto financiado pela República Portuguesa – Cultura | DGARTES-Direcção Geral das Artes.

Foto / Photo Mayo

+: oespacodotempo.pt/event/paula-diogo-ma-criacao
+: tndm.pt/pt/terra-nullius

_______________________________________________________________________

               REVEIL 2020 - 24 horas à volta do globo - transmissão rádio / "Todos" os nasceres do sol em directo em vários pontos do globo terrestre.

Sound and Visual artist João Bento participating for the fourth time in Reveil.
After set up open microphone in Maputo/Mozambique during 2017, mic arrive again in Lisbon. Now set up in new location. The city of Lisbon sounds now like countryside. The coronavirus pandemic bring new beautiful sounds to the city.

Começando na madrugada de sábado, 2 de maio, pouco antes do amanhecer em Rotherhithe perto do Meridiano de Greenwich, a transmissão do Reveil pegará nesses feeds um por um, rastreando o nascer do sol para oeste de microfone em microfone, seguindo a onda de som intensificado que circunda a Terra todos os dias. 24 horas a partir da  primeira luz.



+ soundtent.org/reveil
+: streams.soundtent.org/2020/streams
+:locusonus.org/soundmap

Reveil is a collective production by streamers at listening points around the planet. Starting on the morning of Saturday 2 May in South London near the Greenwich Meridian, the broadcast will pick up feeds one by one, tracking the sunrise west from microphone to microphone, following the wave of intensified sound that loops the earth every 24 hours at first light. In 2020 Reveil featurea new streams from places where humans and non humans meet, in soundscapes often radically altered by the Covid-19 pandemic. Many of these these streams come from from homes and gardens as people make connections between the the domestic spaces where they find themselves.

Participating Stations:

WGXC 90.7-FM in the Upper Hudson Valley, NY from midnight 00.00 EST on Friday 1 MAY to 01.00 on the morning of Sunday 3 MAY. Resonance EXTRA throughout the broadcast. Resonancefm.com for full schedule.  Soundart Radio in Totnes, Devon, UK will relay the entire broadcast on 102.5 FM in the Totnes area; also online and on tuneinRadius in Chicago, Illinois, will relay the full broadcast online and locally on 87.9 FM Phaune Radio, Paris | Montreal. Radio Patapoe, Amsterdam. Radio Campus, France. NAISA Radio, South River, Ontario. Zanj Radio, Stony Hill, St Andrew, Jamaica. Radio Tsonami, Valparaí, Chile. Oscillation Festival, Burssels, Belgium. Colaboradio, Berlin. SODAS 2123, Vilnius Archipel Community Radio Station, Berlin. Chimeres.gr, Greece. Î Νode, France.

_______________________________________________________________________

              Terra Nullius, criação em curso com Paula Diogo para o Teatro Nacional Dona Maria II - audio disponível online / audio track available online 




© Pedro Lacerda 

Faz hoje 43 dias que eu e o João Bento estivemos juntos pela última vez. Andávamos a imaginar um tsunami que varria a Praça D. Pedro IV, transformando tudo em água. Este evento prodigioso faria parte do projeto Terra Nullius, que começou a ser criado há dois anos na Islândia e lentamente está a migrar para cá, para Portugal, para o Teatro Nacional D. Maria II. Um projeto que transborda do espaço do teatro, ocupando a geografia urbana da cidade e o espaço virtual de discussão e pensamento. Há 43 dias o João Bento e eu estávamos a ensaiar a caminhada que seria feita em conjunto por um grupo de pessoas no Dia Mundial do Teatro. Começámos na praça do Rossio, junto à fachada do Teatro Nacional D. Maria II, onde agora se lê "Olá, Humanidade”, depois atravessámos a praça lentamente e entrámos na Baixa, pela Rua dos Sapateiros. Na Rua da Assunção, junto ao elevador de Santa Justa, virámos à esquerda e continuámos a descer pela Rua Augusta até atravessarmos o Arco e mergulharmos na Praça do Comércio. Atravessámos a praça dando-nos conta pela primeira vez do barulho que os nossos pés fazem ao caminhar naquele piso e, depois da última passadeira de peões, chegámos finalmente à margem do Rio Tejo. No caminho, algumas pessoas interpelaram-nos, outras olhavam só para nós tentando perceber o que faziam aquelas duas criaturas ligadas por fios com headphones e uma coisa que parecia ser um grande microfone. Entretanto o tsunami chegou mesmo, sob a forma de uma doença, que nos obrigou a ficar fechados nas nossas casas, deixando a Baixa da cidade completamente vazia e tornando o invisível do dia-a-dia mais visível do que nunca. E a caminhada que preparávamos para o dia 27 de março nunca aconteceu. A nossa onda gigante está suspensa, congelada no momento mesmo antes de rebentar sobre a cidade.
Gostávamos que ouvissem a cidade como estava nesses dias e a imaginassem como está agora. Alguma coisa tem de acontecer entre esses dois pontos. Só ainda não sabemos o quê.
A faixa de som deve ser ouvida com phones.

de Paula Diogo e João Bento
fotografia Pedro Lacerda
coprodução Má-Criação, TNDMII - parceria Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, Citemor, O Espaço do Tempo, Alkantara, Galeria Zé dos Bois - Projeto financiado pela República Portuguesa - Cultura e DGArtes

www.tndm.pt/pt/terra-nullius


_______________________________________________________________________

                  Criação Sonora para/
Sound Design for  “DIAS CONTADOS” - Nova criação de Elizabete Francisca - 4 Abril 2020 Ilhavo, 23 Milhas Fábrica das Ideias e Teatro Nacional Dona Maria II 17 a 19 de Abril 2020 Cancelado (novas datas a anunciar) - Canceled


EU SOU SÓ MAIS UMA A SUAR ALTERNATIVAS.  
Recebi a carta. Abri a carta. Li a carta. Fiquei parada de pé.
(...)